ANNA MAE BULLOCK - A DEUSA DA SUPERAÇÃO

Nascida em Nutbuch no Condado de Haywood,Tennessee,Estados Unidos em 26 de novembro de 1939, a pequena Anna viria a se tornar uma das maiores (em minha humilde opinião de fã a maior), cantoras e representante feminino do rock`n Roll em todos os tempos. Iniciou sua carreira cantando num coral de uma igreja batista, ainda na infância, mostrando sua aptidão para o canto e estrelato. Hoje sua voz é considerada uma das mais belas do cenário musical e do rock’n Roll. Sua presença de palco, seu jeito de expressar as canções e suas espetaculares coreografias, levou-a ao ranking das dez cantoras mais ricas do mundo.

Em 1988 reuniu, aproximadamente, 190 mil fãs no Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, levando-a a figurar no livro de recordes Guiness Book, pelo maior espetáculo já feito por uma cantora solo. O show no Maracanã era parte dos muitos palcos cujo a turnê “Break Every Rule” (Quebre todas as regras) colocou na estrada. A apresentação no Maracanã foi transmitida para o mundo inteiro.

Mas, apesar de seu talento, nem tudo foram flores na trajetória de Anna Mae Bullock.

Nascida do relacionamento de Zelma Priscilla Currie (1918-1999) e Floyd Richard Bullock (1912-1999), Anna teve uma infância muito difícil por saber-se rejeitada pela mãe. Segundo Zelma, ela não queria uma segunda gravidez e passou a rejeitar a filha. Ao completar 11 anos, Zelma abandona a pequena Anna, obrigando-a morar com sua avó. Aos 17 anos, Anna chora a morte da avó e se ver obrigada a retornar ao convívio da mãe, dessa vez na cidade de St. Louis. Nessa época, Anna, conheceria seu futuro cônjuge sem saber que passaria 14 anos de sua vida sofrendo violência doméstica, maus tratos e preconceito. Aquele que deveria ama-la, respeita-la e protege-la, era um homem controlador e violento. Numa ocasião, este confessa a Anna que havia se casado com ela para fugir da ex-esposa de seu último casamento. Essas e outras tantas humilhações, Anna foi obrigada aturar por longos 14 anos.

Como Anna Mae, entrou para banda do amigo, pois de inicio não havia um relacionamento marital entre a cantora e o musico, porém, ele já exercia seu controle para mantê-la com a banda nos palcos, temendo que seu talento a levasse pelo justo caminho da fama numa carreira solo. Nessa época teve relacionamento com Raymond Hill (musico da banda) e desse relacionamento nasceu seu primeiro filho Raymond Craig. Mas, a relação entre Anna e Hill, desgastou-se e Anna se viu mais uma vez só e desamparada. Desta forma, Anna, aproxima-se de Izear Luster, líder da banda e se casam em 1960.

Anna Mae era extremamente notória no palco e brilhava mais do que a própria banda que o marido liderava. Nessa época Izear se torna mais violento. Os maus tratos passaram a fazer parte do dia a dia de Anna, principalmente dentro de casa. O velho temor de Izear, o transformou em um homem violento e preconceituoso, usando a esposa como um simples objeto.

Assim enquanto Anna Mae dominava os palcos com seu talento, tornando-se o ponto central da banda, em casa era insultada, obrigada a trabalhar sem descanso e sem nenhuma remuneração. O marido controlava tudo, absolutamente tudo, que se referia a Anna Mae. Ela foi obrigada a se apresentar mesmo estando grávida de seu segundo filho. É necessário compreender aqui o motivo pelo qual Anne Mae se sujeitava a toda violência e visualizar as estratégias usadas por um homem violento que a mantinha cativa. Anna não tinha apoio de ninguém, principalmente de sua família. O controle violento e abusivo do marido a deixava até mesmo sem dinheiro, já que todo dinheiro era capitalizado por ele, sem se quer pagar pelo seu talento que ele tanto usava.

Em sua biografia, Anna conta que não tinha com quem conversar ou desabafar, pois as pessoas que a cercavam eram do círculo do marido. Os abusos e desrespeito chegou a tal ponto que na noite de núpcias ele a leva para um bordel. O nefasto intuito daquele homem era mantê-la alienada do resto do mundo e não percebeu que ele tinha em suas mãos uma cantora com talento raro admirada por todos, principalmente na sua ausência.

A banda seguiu viagem pelas cidades Norte Americanas numa época em que a luta contra o racismo negro estava no auge nos Estados Unidos. As origens de Anna Mae eram baseadas no country e no rock’n Roll e isto encontrou muita resistência nas cidades em que se apresentavam. Seu som não era propriamente “branco” ou “negro” e isto não foi aceito, impossibilitando o sucesso da banda. Anna Mae então junta-se a Phil Spector e lança a canção “River Deep Mountain High”. Além desse sucesso com Phil Spector, Anna Mae e a  a banda, consagrou outras canções como “Proudy Mary” e “Nutbuch City Limits”(canção de descrevia sua cidade natal), entre outros. Escrevendo assim, sua história na história do rock dos anos 60. Travou conhecimento com os Rolling Stones, tornando-se amiga de Mick Jager.

Aos 37 anos, Anna Mae, após14 anos de maus tratos físicos e mentais, dá uma basta em tudo fugindo do seu carrasco com apenas a roupa do corpo, uns míseros trocados e dois filhos. Passou muitas dificuldades, humilhações e, mais uma vez, foi rejeitada pela mãe. Seu ex-marido, apoiado por sua mãe, passou a persegui-la, chegando ao cúmulo de tentar matá-la. Um de seus atos foi atirar na casa de Anna Mae quando esta, estava reunida com os filhos e parentes, tentando fazer com que ela voltasse para a banda e seu julgo violento.

Processada pelas casas de show após deixar a banda e não comparecer em tais casas para cumprir contratos, Anna Mae viu-se totalmente endividada. Porém, a vida seguiu e nos anos 80 um novo empresário a leva para Europa. Adorada pelo público europeu e recebida muito melhor do que no seus país natal (EUA). Apoiada por nada menos que David Bowie (Cantor e Compositor), Mick Jagger (Rolling Stones), Ryan Adams (Cantor e Compositor) e Mark Knopfler (Dire Straits) ela lança o álbum “Private Dancer”. O álbum foi um sucesso mundial, alcançando o número três na Billboard 200 dos EUA, vendendo mais de 5 milhões de cópias no país, e mais de 11 milhões de cópias mundialmente.

O suicídio do filho, a luta e a vitória contra o câncer não abateram esta mulher. Ela superou-se em cada minuto de sua sofrida vida. Aos 40 anos, Anna Mae, passa a ser ouvida em todas as rádios, em todos os lugares, até nos confins do mundo. Experimentou seu justo sucesso e o mais importante, sua liberdade. Tornou-se uma cantora consagrada elevando seu nome e recebendo o título de Rainha do Rock. Hoje, Anna Mae, aos 81 anos, casada a 35 com Erwin Bach, tornou-se cidadã Sueca, onde reside a mais de 20 anos.

Talvez ao lerem essas linhas resumidas sobre as lutas de Anne Mae Bullock, vocês tenham descoberto a quem eu as dediquei. Mas, se assim não aconteceu, eu os revelo agora. Anna Mae Bullock é o nome de batismo da Rainha do Rock TINA TURNER..

A DEUSA DA SUPERAÇÃO

81 anos marcados por abusos, sucessos, glórias e principalmente superação



Fonte: Wikipédia
Foto: Internet

Pesquisa e Texto
Renato Galvão
Artista Plástico, escritor
e "Dublê de Colunista"


 

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Destaque do mês

CAPIM DOURADO - O OURO DO CERRADO

Originário do Cerrado, uma verdadeira preciosidade, que são os fios dourados da sempre-viva que brota em campos do Mato Grosso, Mato Grosso ...

Preferidas do Público