Cartas para Ele : Destinatário: Deus - Remetente: Brunna Caneschi

Você já se sentiu abandonado, injustiçado ou renegado? Já te aconteceu de admirar um fim de tarde ou uma bela manhã ou um lindo luar e constatar que diante de todas essas belezas, mesmo assim, você sente-se vazio? O que fazer quando nos chega à doença ou quando transformamos nossas metas e planos em ansiedade? A quem pedir socorro, com quem falar, com quem desabafar?

Na correria diária do mundo que vivemos, ninguém repara num rosto angustiado, sofrido, solitário perdido na multidão. Então só lhe resta, e ainda bem, voltar-se para o seu espírito, para sua alma, para sua essência, sua criação, seu Criador.

CARTAS PARA ELE, é um livro onde a autora (Brunna Caneschi) em sua procura, em seu desabafo, direciona cartas para o Grande Criador de tudo que nos cerca, de todos os universos criados no tempo e no não tempo. No momento em que tudo que ela acreditava desabou ao seu redor, quando lhe faltou o chão para apoiar os pés, quando então, constatou a sua fragilidade e necessidade de um elo maior entre criatura e Criador para socorre-la, conforta-la e consola-la, ela escrever-Lhe cartas e as respostas chegam-lhe, trazendo o sublime gesto do Criador a estender-lhe as mãos.

Uma história contada através de cartas de uma menina em construção de si mesma e desvendando seu próprio ser, escrevendo para Àquele em que mais acredita, pois precisa de um caminho para seguir. Fascinantemente, ela descobre que suas cartas são lidas e respondidas, que seus contos saem do coração do Divino e sua alma anseia por ter ainda mais intimidade com o Eterno. Trata-se de um livro composto por “... cartas que contam uma história que ninguém vê, mas todos sentem...”.

 

“... Ábba! Passei um longo tempo perdida. Entreguei meu coração e esperanças nas mãos dos homens, me deslumbrei com possibilidades inacabadas, me perguntei o porquê eu não posso ter, ser ou manter...”. Eis que neste instante de reflexão, a escritora se pergunta: “... o que tinha de errado comigo?...”, e acrescenta quase como uma súplica, a espera de uma resposta: “...tantas e tantas vezes Te perguntei...”. Mas, embora a resposta estava dentro de si mesma e sem entender, ela, continua sua carta: “... a resposta demorou, lágrimas incessantes rolaram pelo meu rosto...”, sua “...voz embargada, dor no peito, eu desabafo mais uma vez a Ti...”.

 

CARTAS PARA ELE, não se trata de um livro religioso ou ditado por uma religião, pois religiões são correntes inventadas pelo homem. O livro descreve o momento, o instante, a dádiva do encontro da criatura com o seu Criador, onde se obtém as generosas, amorosas e confortantes respostas para todos os nossos sofreres, sejam estes do corpo ou da alma. Observe...

“... e depois de Te dizer tudo, você com todo o amor de Pai, vem me dizer que: _ A culpa não é sua! Você não tem nada de errado! Continue sendo quem você é; mas, deposite seu coração e esperanças em Mim. Guarda teu coração pequeno e esfolado! E Eu te mostrarei que a cada pequeno passo juntos, Te ajudarei a segurar a barra...”.

Os momentos e instantes sofridos descritos nas cartas que a autora Brunna Caneschi expõe em súplicas ao seu Criador, nos revela a unidade entre criatura e Criador. Nos faz refletir que todos os males, sejam este do corpo ou do espírito, são curados com amor e bondade quando nos tornamos uno com o Criador e assim, somos recompensados pela imensidão amorosa Daquele que nos conhece muito antes de ter nos dados a vida terrena, muito antes do sopro da vida.

“... Eu segurei sua mão quando suas recaídas fizeram-na culpar-se novamente. Eu usarei escritores para te curar, Te farei encontrar luz em meio ao caos, Te (mostrarei) meios de me encontrar, colocando a vontade no seu coração de conhecer-Me, de vir até (a) Mim. Filha, tu tens o meu colo sempre...”  

Baseei-me apenas na carta 02 para escrever essa matéria para vocês, porém já havia lido parte do livro e nesta semana o li até o final. Confesso que muito me foi confortante e prazeroso ler estas cartas. Posso até dizer que foi um grande aprendizado para minha vida.

Acredito que, Brunna Caneschi, ao escrever as primeiras palavras de seu desabafo para compor sua carta inicial, não mensurava a importância que suas cartas à Abba teriam para outros tantos sofridos por esta vastidão mundial. Mas, e graças a Deus por isso, sua conectividade com Abba lhe fez entender a importância de suas palavras como testemunho do infinito amor de nosso Criador. Este testemunho fica claro quando se ler a nota acrescentada pela autora no final do livro (página 173).

“... quero que você saiba que existe alguém sentindo o mesmo que você, existe alguém que passou o mesmo que você, existe alguém que está sentindo a mesma dor que você. Não estais sozinho (a). Assim como decidi escrever este livro para compartilhar meus sentimentos e experiências, você pode fazer o mesmo, confessando seus sentimentos à Abba. Ele te ama mais que qualquer pessoa que já existiu nessa Terra. Sei que se você abrir seu coração para Ele, quem sabe escrever-Lhe algumas cartas, Ele vai te responder, saciar sua sede, preencher seu vazio como fez comigo. Mas, não pense que sou especial por isso, Ele considera-me do mesmo jeito que te considera, todos somos especiais. Eu desejo que você O encontre e O conheça do fundo de meu coração. Você consegue. Não desista!...”

CARTAS PARA ELE descreve o poder do amor Divino transformando fracos em fortes. O livro é uma mostra de superação, visto que, perdida a criatura em seus caminhos terrenos e espirituais, busca às mãos de seu Criador e quando a conectividade acontece, num elo engendrado pelo amor, o círculo espiritual criatura/Criador se fecha, refazendo assim, o elo perdido.

As cartas escritas ao seu Criador pela autora, é o reconhecimento, o agradecimento, a constatação, a prova máxima de que tudo poderá ser resolvido enquanto carne, enquanto espírito, que não há males que possam açoitar o corpo e a alma daquele que se torna uno, que se entrega, que se integra ao seu Criador. Não há outro caminho para a superação individual ou espiritual que não seja ligado pelo forte elo do amor entre criatura e Criador. 

Nota do Editor: “ABBA ou ÁBBA é um vocábulo que significa PAI em várias línguas semíticas. Pode ser também descrito como “AB” ou “ABA”. É utilizado corriqueiramente na língua aramaica para referir-se carinhosamente ao genitor, mas adquiriu um significado sagrado para algumas religiões. Entre os cristões, por exemplo, é utilizado para designar Deus Pai, aparecendo quatro vezes no Novo Testamento (Marcos 14:36; Mateus 26:39; Romanos 8:15 e Gálatas 4:6), com a devida tradução grega”. (Wikipédia).


Contatos Brunna Caneschi: https://linktr.ee/bcaneschi

 

Fonte e Fotos: Brunna Caneschi (Autora)


 Coluna: História de Superação


 

3 comentários:

  1. Nossa! Mas que lindo, gente! Simplesmente amei a proposta do livro e pela forma como foi descrito aqui me conquistou. Parabéns a autora! Uma obra que com certeza deixará marcas na literatura nacional.

    ResponderExcluir
  2. Renato, está de parabéns por essa matéria e as demais que sempre enriquecem nosso cenário brasileiro. São de propostas como esta e outras que nós, artistas, precisamos e gostamos de sermos entrevistados, pois nossos trabalhos são vistos por muitos. Quanto a matéria específica, do dia de hoje, traz uma energia boa e aguça a curiosidade de conhecer mais.
    Obrigada pela oportunidade de sermos agraciados com tamanha riqueza de conteúdo.

    ResponderExcluir
  3. 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼

    ResponderExcluir

Destaque do mês

ZACHARIA SITCHIN - Escritor, Historiador e Pesquisador

Há escritores que por sua incessante busca da verdade e por não aceitar as “verdades” que nos impõem, transformam-se em grandes pesquisadore...

Preferidas do Público