O PAÍS DOS BEM-TE-VIS - Ensaio sobre a inveja na Cultura Brasileira

O PAÍS DOS BEM-TE-VIS da Escritora Noemi Gomes do Rêgo Coelho, foi lançado pela Editora Letra Capital no La Fiorentina, um Restaurante localizado na praia do Leme na zona sul do Rio de Janeiro, especializado em comida italiana, um lugar onde intelectuais, jornalistas e artistas se reúnem desde 1957. Após o lançamento, Noemi ministrou palestras no Ateliê dos Artífices em Santa Teresa, na Blooks Livraria e no Midrash Centro cultural, ambos em Botafogo/RJ. Em seu primeiro ano de lançamento, O País dos Bem-te-vis, foi indicado ao Prêmio Biblioteca Nacional na Categoria Ensaio.
"Foi uma grande surpresa encontrar os boookstagram, os perfis de pessoas que comentam livros no Instagram. Uma comunidade enorme de jovens que leem, fazem resenhas e que estão gostando muito de "O PAÍS DOS BEM-TE-VIS". Recebo muitos elogios e o mais importante, pessoas ficam entusiasmadas com o tema, se descobrem e descobrem o assunto, reconhecem a importância, identificam a questão na realidade e divulgam, falam, expõem. Está sendo maravilhoso divulgar o livro no Instagram". Narra Noemi em entrevista ao Jornal Alecrim.
O sucesso do livro seguiu conquistando setores e no dia 16 de abril de 2019, no site Ideias&Ideais, o Jornalista Alex Campos comenta e chama o público para o lançamento do livro de Noemi Gomes. Escreveu o Jornalista em 16 de abril de 2019 em sua coluna: " 

Jornalista Alex Campos
“No Brasil, o passado é sempre esquecido, e o futuro nunca chega. Daí que gerações e gerações começam e recomeçam do zero. Não receber o conhecimento das gerações anteriores é uma escolha da inveja”. "Esse é um belo trecho do livro "O País dos bem-te-vis", da escritora Noemi Gomes do Rêgo Coelho, lançado ontem no Rio. Trata-se de um ensaio sobre a inveja no conjunto dos hábitos e costumes dos brasileiros. Ou seja, trata-se de nossas raízes, tradições e histórias nacionais. O livro aponta o extenso alcance da inveja no Brasil contemporâneo, cabendo como uma luva no atual momento político em que vivemos. Ele traz definições nuas e cruas sobre a inveja e suas características, como o ódio, a má-fé, a maledicência e a intolerância sempre disposta a destruir o que é diferente. “O País dos bem-te-vis” propõe reflexões e provocações interessantes que relacionam a inveja ao medo, ao conformismo, à inversão de valores e à negação das nossas próprias responsabilidades. Por falar em “nossas responsabilidades”, taí uma dica pra todo mundo que lamenta a situação de penúria das livrarias Saraiva, Cultura e outras tantas. Sim porque, se todo mundo que eu vejo lamentar o fechamento de uma livraria tivesse comprado um livro, nem a Saraiva e nem a Cultura estariam em dificuldades. Daí que “O País dos bem-te-vis”, da Letra Capital Editora, oferece uma chance pra quem quiser se redimir. Ele foi escrito pela Noemi Coelho… Mas bem que poderia ter sido escrito por mim. Sem nenhuma inveja, claro!".


João Baptista Filho - Editor
O texto (release) escrito pelo editor João Baptista Pinto, descreve o teor do livro de Noemi Gomes brilhante e claramente, tratando do assunto ou tese exposta em "O País dos Bem-te-vis" com maestria para nos fazer entender o seu conteúdo fantástico e revelador: "O país dos bem-te-vis - é um ensaio sobre a inveja no conjunto dos hábitos sociais brasileiros. Trata das raízes, a formação histórica, a gênese das tradições e valores nacionais e identifica a inveja como característica humana universal. Aponta a extensa ação da inveja na cultura do Brasil contemporâneo, e descreve as soluções e saídas possíveis. É uma análise interessante da história do comportamento invejoso entre nós, desde a insensibilidade do extermínio dos índios, da escravidão ao sadismo da família patriarcal escravocrata, ressaltando a contribuição definitiva da Santa Inquisição e da excessiva religiosidade portuguesa na indiferença diante da morte trágica. 

Lançamento - La Fiorentina - RJ
A formação do nosso país foi marcada pela atuação intensa da Inquisição: a perseguição, as mortes, as denúncias por interesse, a inversão de valores espirituais, as propinas e privilégios, a corrupção, atitudes e situações impressas permanentemente na alma nacional desde então. Esclarece a emotividade, capaz de inveja e ódio, como qualidade brasileira e a identificação projetiva. Apresenta a pesquisa IBOPE sobre os números da inveja na nossa sociedade. O país dos bem-te-vis estuda a origem e identidade do sentimento: a inveja do seio na formação de todo ser humano, o Édipo na família, as onipresentes invejas do pênis e do útero, inveja nos mitos e nas religiões. Verifica que o ser humano pode escolher o pior mesmo sabendo o que é o melhor para si, e expõe como a inveja paralisa o tempo: no mundo do invejoso só o presente tem importância.  Ou seja, individualmente e para a nossa sociedade, o futuro não existe, nem o passado, vive-se num eterno presente repetindo-se incessantemente os mesmos erros. Também aborda a inveja na manifestação cultural brasileira nos dias de hoje: a maledicência, a mentira, a negação da responsabilidade – tão comum nas nossas ações, individuais, sociais e institucionais. Analisa a auto inveja, a inveja de si mesmo, individual e do conjunto da sociedade, seus inúmeros componentes entre si e com o Estado. A pressão invejosa marca
Palestra no Midrash Centro Cultural

toda criatividade para destruí-la e permite a banalização da violência em todos os níveis. A repressão, unida à falta de valor, conduz a indivíduos limitados e grosseiros
. Recusar a bondade impede o aprendizado com a experiência, a transmissão do saber para as gerações seguintes, razão pela qual cada geração aqui começa do zero: a incrível negligência brasileira para com a educação e o raciocínio, desde a época colonial. Para concluir, a autora apresenta soluções: a necessidade humana de curar-se e fazer reparações é libertador para todos os envolvidos. A gratidão – força natural, universal e contrária à inveja – a reverência ao sagrado, o perdão, a espiritualidade, uma das maiores carências nacionais a ser preenchida com urgência. Reverência e admiração implicam em compreensão do que é melhor e a participação consciente nisso, ressaltando a capacidade brasileira para a alegria, para a festa coletiva onde não há inveja, mas união do e no conjunto, onde o povo alcança perfeição, um traço efetivo de saúde mental e moral". João Baptista Pinto. 

 

"Excelente obra da Mestre Noemi Gomes do Rego Coelho."O PAÍS DOS BEM-TE-VIS" é um passaporte para quem pretende conhecer a essência de nossa gente brasileira a partir de gerações de nossos antepassados. De forma didática e assertiva a insigne autora aborda questões contemporâneas que ainda constam como mal resolvidas. Parabéns pela qualidade da obra...". Sr. Edivaldo Fernandes.

 

Noemi Gomes e Zuenir Ventura - Lançamento - RJ
Enquanto estudava, pesquisava e juntava forças para defender sua teve, a escritora constata que "... ninguém se surpreendia com o tema. Todos sempre aceitavam a ideia, concordavam com a inveja na cultura brasileira...". Mais importante ainda foi "... descobrir o quanto a Inquisição influencia nossa cultura e o quanto isso é completamente desconhecido. O papel dos judeus na nossa formação é enorme e também ignorado...". E finalmente "... verificar que toda a cultura é influenciada pela inveja, completamente, em todos os aspectos... vem a pandemia e... a confirmação crua de todas as teses, ou seja, estamos errando em cada simples passo necessário para lidar com a doença e a morte pandêmica... Errando em coisas que ninguém acreditaria possível e que o mundo inteiro está fazendo o oposto. Por exemplo (mas não o único) populações inteiras em outros países estão aplaudindo os seus profissionais de saúde, seus heróis. Aqui os nossos não tem condições de trabalho... reconhecimento... quando adoecem e morrem... Isso é inveja...".
 
Fontes e Fotos: Noemi Gomes
Panorama Econômico - JBFM - Alex Campos:
Letra Capital Editora:
Bate papo Letra Capital:
Instagram da Autora: @ngrct_autora
 

 
 
  COLETÂNEA PALAVRA EM AÇÃO
INSCREVA-SE.
ÚLTIMAS VAGAS!
Informações e Regulamento
jornal.alecrim@gmail.com 

Comentários