QUEM SOMOS

    O Jornal Alecrim nasceu da necessidade de informar aos moradores, turistas e artistas em geral tudo o que Teresópolis tem a oferecer em termos de Arte, Cultura, Literatura, Turismo entre outros. Com o sucesso da versão impressa, criamos o Site, com mais espaço para interação dos leitores, mais artigos que abordam diversos assuntos e curiosidades além de, com muita pesquisa e criatividade, mostrar lugares e serviços de qualidade. Assim, as notícias e artigos tomaram uma dimensão maior, abrangendo em termos turísticos a Região Serrana e sua vasta hotelaria, bem como curiosidades e mistérios do mundo. 

    Atualmente contamos com dois editores que trazem temas atuais e pesquisas relevantes abordando cultura, arte, literatura, entre outros temas.

    Toda semana, a equipe traz curiosidades, dicas, compras, turismo, cultura e afins que valem à pena dividir e que podem te fornecer uma dose de inspiração para começar o seu dia.






Um pouco mais dos Editores do Jornal Alecrim


    Sou professora com cerca de 27 anos de magistério, atriz desde pequena, tendo me profissionalizado com 19 anos, e escritora com livros publicados desde 2004. Também atuo com produção cultural e de eventos populares, como feiras de artesanato e festivais. Formada em Letras, na modalidade português - inglês e suas literaturas, na UNIVERSO e com cursos de especialização em áreas da Educação e da Produção Cultural.
Faço parte da ATL - Academia Teresopolitana de Letras (Teresópolis - RJ), da Academia de Letras de São Pedro da Aldeia e da Academia de Belas Artes do Rio Grande do Sul. Tenho seis livros publicados e participações em algumas antologias e coletâneas pelo Brasil.
Teresópolis é minha cidade natal e onde mantenho residência, ainda leciono em escolas públicas da cidade e realizo projetos culturais variados, sempre com cunho sociocultural e/ou socioambiental. Dirijo o Jornal Alecrim, veiculado na Região Serrana do Rio de Janeiro em formato impresso e online, além de fazer parte do quadro "Encontro das Artes" um programa exibido em dois canais fechados em Teresópolis e região. Dirige e produz o Programa Vitrine, exibido diariamente na Teresópolis TV.

Bibliografia:
Memórias de Mão de Pemba
Potiara
Niara e o Tesouro Encantado
Sob a Luz Vermelha
Vida que Segue
Vida que Segue II

COLETÂNEAS:
- QUARENTENA - Memórias de um país confinado - 2020 - ed. Chiado
- CONEXÕES ATLÂNTICAS V - ed. Infinita

Cláudia Coelho de Meneses é professora, atriz, escritora e produtora cultural, atua, entre outras coisas, com contação de histórias para crianças, oficinas de contação de história para professores e público interessado em aprender mais sobre esse mundo mágico da imaginação. Ocupa a trigésima terceira cadeira na Academia Teresopolitana de Letras, em Teresópolis-RJ, onde atua com literatura e projetos infantis. É apresentadora do programa Encontro das Artes na TV Teresópolis, Coordenadora do Projeto Cultural Encontro das Artes, idealizadora e editora do Jornal Alecrim. Seus livros infantis publicados são POTIARA e NIARA E O TESOURO ENCANTADO.  Já os livros para jovens e adultos publicados são: VIDA QUE SEGUE 1, VIDA QUE SEGUE 2, MEMÓRIAS DE MÃO DE PEMBA e SOB A LUZ VERMELHA.

Uma incrível personalidade que muito tem feito pela arte, cultura e artistas de Teresópolis. Através de sua coluna no Jornal A Notícia e no Jornal Alecrim, podemos constatar o quanto tem trabalhado em prol de nossa cultura e de nossos artistas.

Em entrevistas cedida a coluna DICAS DE ATIVIDADES CULTURAIS, Cláudia nos fala um pouco mais sobre suas obras, inspirações e sobre a importância da cultura para formação de nossas crianças.

Confiram...

Você acha importante que os pais incentivem seus filhos à leitura desde crianças?

Atualmente, as crianças e os jovens têm se espelhado muito em seus ídolos, mas esquecem muitas vezes de como a família, a igreja e a escola, são importantes para o conhecimento de valores que moldem o caráter deles, de modo que eles possam viver em harmonia na sociedade.  Quando os pais e a escola incentivam seus pequenos à leitura, eles contribuem para que possamos ter um mundo melhor no futuro.

O que te incentivou a escrever livros?

Sempre escrevi muito, desde criança. A inspiração vêm de várias formas e de vários momentos. Porém, a publicação em si, veio do incentivo de amigos muito próximos. Quanto aos livros infantis, desejo ampliar as noções do que realmente é importante para pensarmos e vivermos, por exemplo: Os jovens parecem compreender um jogador de futebol, que ganha bilhões por ano, muito mais importante, do que aquele trabalhador rural que luta para colocar a comida em sua mesa, e é responsável por também colocar a comida na mesa de várias famílias, sem jamais desmerecer o trabalho do jogador de futebol ou do cantor pop do momento. Mas os jovens não entendem que muitas vezes o ter não é o ser.

 Seus livros, normalmente seguem um padrão de tema específico ou você aborda diferentes assuntos em cada um deles?

Procuro abordar tudo aquilo que carregamos para a nossa vida, e que se acumula com princípios adquiridos por aqueles que respeitamos, seja em casa, no trabalho, na escola ou na família.

Você pode contar um pouco sobre o seu novo lançamento?

Escrevi há uns dois anos atrás, mas resolvi lançar pela Editora Chiado Books. O livro é destinado a Adultos, bem diferente das últimas publicações infantis. Trata de um mistério envolvendo ficção, romance e drama com um final surpreendente. Aguça opiniões e conceitos diversos.

Passado, presente e futuro se entrelaçam em cenas de amor, ódio e vingança perdurando em dimensões interligadas. O que há por trás de uma obsessão? 

Uma mulher, um escravo, um soldado Nazista. Qual o segredo que liga personagens tão diferentes? Descubra.

Quais suas inspirações para escrever poesias? 

A inspiração vem de formas e lugares diferentes. Sonhos principalmente.

Livros e poesias se completam?

Sim.... Sempre. A poesia faz parte de tudo, da vida, do que aprendemos e vivenciamos.

Como é a carreira de um poeta/ escritor na região serrana? Há inspiração e investimento para isso?

Inspiração há sempre... Incentivo governamental... Não muito, a não ser se você conseguir empresas através de Leis de Incentivo Fiscal, o que aqui, especialmente em Teresópolis, tem tido muita resistência. O incentivo maior vem do público que comparece aos eventos e lançamentos, embora, com o pouco incentivo que se tem para a cultura de modo geral, esse público anda bem escasso. Contudo, não devemos desistir nunca e ter fé de que as coisas um dia vão melhorar. Cabe a nós, lutarmos, independente deste ou daquele governo. E aqueles que querem ajudar, mas não sabem como, sugiro começar a pequenos passos, curtir as redes sociais, compartilhar com os amigos as notícias e lançamentos... Refletir na hora em que precisa presentear alguém, seja pelo aniversário ou outro fim, dê LIVROS de presente... Assim você estará contribuindo realmente com algo positivo para todos.


Gustavo Lucena







Comentários