TURISMO - FONTE JUDITH


FONTE JUDITH



Fonte Judith Teresópolis
foto de Gustavo Lucena




    Na semana passada, soubemos um pouquinho a respeito do Dedo de Deus, que é um monumento natural de grande importância, principalmente para Teresópolis, pois não tem como falar da cidade e não lembrá-lo. 
    Hoje vamos entrar mais na cidade, e parar na Fonte Judith. Uma fonte natural de água fresca, que é um ponto turístico pitoresco da cidade e, traz consigo a história de ter água terapêutica.

    Nos conta a história, que em 1920, pelas mãos do pedreiro Manoel Guedes da Costa, a fonte teve sua primeira  fachada de estrutura colonial em alvenaria, mais tarde passando por mais duas revitalizações, sendo a última, a que conhecemos em 1967, preservou-se a característica colonial, mas foi quando ganhou os faunos, de onde brotam, nas suas cinco saídas, água pura, fresca e cristalina. Nesta revitalização também ganhou  o revestimento em azulejos portugueses de Jorge Colaço, e duas trovas na sua fronte em homenagem ao monumento, uma do trovador  Manoel de Araújo Peres e outra da trovadora Ilda Correia Leite, respectivamente:

"Bendita fonte a correr!
Numa sagrada missão, 
a todos dar de beber
na concha de cada mão."

"São dois destinos irmãos:
o da fonte e o do altar.
Quem vai beber junta as mãos,
 junta as mãos quem vai rezar..."

 
    A história da fonte e que a cerca das alusões de águas curativas, tiveram origem no seguinte: Em meados de 1919, um bem sucedido empresário do ramo de armarinho, Luís de Oliveira, que tinha seu estabelecimento comercial na capital e, possuía em Teresópolis, no bairro do Alto, uma casa de veraneio onde passava os momentos de lazer com a família.
    Em determinado momento, teve sua filha Judith acometida de problema de saúde gástrico ao qual peregrinou por diversos médicos especialistas na capital, sem sucesso, e por isso, resolveu trazê-la ao aprazível clima da serra, pois este, poderia fazer bem a menina. A filha, em Teresópolis,  passou a beber diariamente a água fresca de uma nascente que brotava próximo à propriedade da família, e sentiu suas dores se amenizarem até a total cura do mal que sofria. 
    Por sua vez seu pai, procurou adquirir a fonte milagrosa, quando foi feita a primeira obra em alvenaria já citada, e  deu o nome de sua filha curada e assim é conhecida até os dias atuais.
    Após algum tempo, por motivo de falência do seu negócio, Luís se viu compelido a vender sua propriedade na cidade de Teresa e junto dela, a sua fonte Judith, solicitando ao comprador que a mantivesse e, com o nome que lhe havia dado. 
    A Fonte ainda assim pelas mãos dos seus proprietários posteriores não sucumbiu à especulação imobiliária tendo sido doada a municipalidade. 
    A fonte traz seu nome até os dias de hoje e muitos que não conhecem a história, acreditam que o nome da fonte seria uma alusão e homenagem à Judith bíblica o que acabamos de descobrir que não é a verdade.
     Não deixe de visitar a Fonte Judith em Teresópolis e ver pessoalmente este ponto turístico, provar de sua água fresca e quem sabe obter os efeitos curativos que fizeram daquela simples nascente a fonte Judith...





Fotografia e pesquisa: Gustavo Lucena







Gustavo Lucena de Melo é um escritor fluminense, nascido em Niterói, criado entre o subúrbio carioca e a serra teresopolitana. E reside desde sua tenra idade na cidade que lhe tomou o coração a cidade de Teresa, como também é conhecida.

Em Teresópolis Gustavo se criou e por influência, principalmente da mãe e do padrasto, se descobriu um consumidor de livros. E por esse amor a literatura, redescobriu seu lado poeta. Coordena o GT (grupo de trabalho) do Fórum de cultura de Teresópolis "Palavra em ação", possui uma obra publicada, de grande importância para a cidade, por se tratar de um momento crítico recente pelo qual a cidade passou:  "Vida sob escombros", é integrante do grupo de artistas idealizadores, criadores e mantenedores do "Jornal Alecrim" onde vem fazendo, periodicamente, o seu editorial.

GUSTAVO LUCENA, comanda a coluna TURISMO E NATUREZA, e a coluna POESIAS E CRÔNICAS, nos DOMINGOS e SEGUNDAS respectivamente.







“UFOS, ESTAMOS SOZINHOS?”

“UFOS, ESTAMOS SOZINHOS?”

 


            Será que só existe vida inteligente na Terra?

            Será que estamos sozinhos em meio a incontáveis universos?

            Parece que não. Baseado em fatos reais.

            Venha viajar comigo por outros mundos...

 

            “Os átomos de hidrogênio emitem luzes a níveis de energia específica.

Estas energias são determinadas pela Constante de Estrutura Fina.

Fine-Structure Constant = 0.0072973525667(17).

O FSC é um misterioso número que aparece em muitos cálculos da física fundamental do nosso universo. Mas não temos ideia de onde ele vem.

A atmosfera, as estrelas, o ar que respiramos, até nossos cadarços de sapatos tem uma composição atômica que inclui este número enigmático. É um conceito matemático que seria reconhecido em qualquer lugar do universo.

Em 1974, Frank Drake, Carl Sagan e muitos outros cientistas enviaram mensagem de Arecibo  para o espaço. Ela continha matemática básica e outras informações destinadas a estabelecer contato com outra vida no universo. Eles direcionaram tal mensagem para o aglomerado de estrelas M13 e ficaram na expectativa de uma resposta. Porém, esta mensagem levaria 22.800 anos para atingir M13 ou contatar alguém neste aglomerado de estrelas. A “expectativa era de alguém pelo caminho interceptar tal mensagem e vir até nós primeiro para estabelecer contato...”

Com esta introdução e baseado em fatos reais, foi lançado em 2018 o filme “Ufo, estamos sozinhos?” O título do filme nos faz refletir sobre o tema e nos deixa sedentos de respostas para as nossas infinitas perguntas.

A história é baseada nas experiências de Derek Echevaro, um atleta e estudante brilhante que havia ganhado olimpíadas em seu país e, através de bolsa de estudo, chega a Universidade de Cincinnati, em Ohio, EUA ingressando no curso de ciências matemáticas. Aos nove anos de idade, Derek havia tido contato com aparição de um OVNI em sua cidade natal. Naquela ocasião avistou uma grande nave em forma circular que emitia luzes coloridas e de imenso brilho, paralisando o jovem. Sua mãe, percebendo o acontecimento, corre em direção do filho, fazendo-o voltar a realidade, saindo daquele transe. Vozes, murmúrios e ruídos parecidos com ondas de rádio incompreensíveis inundavam os ouvidos e mente do jovem.

Apesar da vida de estudante de uma grande universidade tomar todo o seu tempo, Derek não esquecera o acontecido e pesquisava sobre seu contato e outros contatos e avistamentos que ocorriam no mundo, principalmente, nos EUA.

Porém, no dia 17 de Outubro de 2017, no Aeroporto Internacional Nothern no Kentucky, EUA, aconteceria um avistamento onde várias pessoas no aeroporto puderam testemunhar. Um jovem que aguardava o embarque chamou a atenção dos outros passageiros, pois sobre o céu do aeroporto surgia um

ovni se mostrando por alguns segundos e logo depois desaparecendo. A torre de comando atônica, troca informações via rádio com outros funcionários do aeroporto, principalmente com os encarregados das pistas pela aterrissagem e decolagem das aeronaves comerciais, pois tinham uma visão ampla do céu.

Inclusive um dos mecânicos da pista consegue observar a chegada e a partida da nave extraterrestre e comunica a torre, posteriormente o faz, aos seus superiores. Quando a notícia da aparição foi veiculada pela imprensa local, um verdadeiro exército de agentes do FBI chega imediatamente ao aeroporto assumindo o controle de tudo e de todos. Ai começa o que sempre eles fazem. Distorção e camuflagem dos fatos. Notícias confusas e relatos preparados visando desacreditar o ocorrido foram criados e veiculados pelo comandante da operação no aeroporto através daqueles que havia anteriormente dado a imprensa seu relato verdadeiro. Todos os funcionários foram “entrevistados” pelo staff do FBI e proibidos de comentar o fato com qualquer pessoa, incluindo seus familiares.

Derek toma conhecimento do fato através da impressa e começa a investigar por conta própria, pois a aparição da nave extraterrestre tinha semelhança com seu caso. Com suas investigações e estudos, chama a atenção do FBI que passa a segui-lo e vigiá-lo. Quando isso acontece, um simples celular é grampeado e tudo ou todos que você comunica-se, passam a ser suspeitos na visão do FBI.

Mas a grande questão e o interesse do comando do FBI estavam diretamente envolvidos com a possibilidade de comunicação deixada pelos extraterrestres na mensagem de rádio trocada pela torre de comendo e outros funcionários do aeroporto. O FBI tem conhecimento referente ao número enigmático da Constante de Estrutura Fina, do trabalho iniciado em 1974 por Carl Sagan e Frank Drake e principalmente referente a mensagem enviada a M13 com a possibilidade de interceptação por alguma civilização avançada do cosmos. Possui um dossiê completo de contatos cujo os integrantes de tais ovnis deixam mensagens enigmáticas nas comunicações de rádios entre humanos, porém que ninguém conseguiu ainda decifrar.

Mas, Derek chega a essa decifração apesar da situação em que se metera. De tão ligado em descobrir a verdade, ele se torna obcecado e conta com a reprovação da namorada, dos amigos e até mesmo de sua professora na faculdade. Na tal mensagem deixadas pelos visitantes do espaço na comunicação da torre de comando do aeroporto, eles haviam inserido  coordenadas da sua próxima aparição. E o porque disto? Certamente haviam interceptado a mensagem enviada do Radiotelescópio de Arecibo em Porto Rico pelos nossos cientistas em 1974. Conhecedores de tal mensagem, eles tentavam entrar em contato conosco através de códigos inserido em comunicações nossas e sabiam que a melhor oportunidade era aparecendo e interferindo em comunicações dos vários aeroportos de nosso mundo. Se conseguíssemos decifrar tais coordenadas ou códigos, eles saberiam que tínhamos chegado a um nível razoável de evolução na qual eles poderiam manter contato.

Por ironia do destino, a mesma professora que desaprova a conduta de Derek e até o impede de entrar na sala para fazer uma de suas provas, devido o mesmo ter chegado atrasado, é que decifra o enigma. Numa madrugada, Derek liga para sua professora e pede a ela que o receba em sua casa. Apesar de titubear e saber que aquela visita poderia trazer-lhe problema, ela concorda e abre a porta de entrada de sua casa para seu compenetrado e mais inteligente aluno. Os dois discutem sobre os números contidos na mensagem decifrada por Derek tentando chegar a um proposito ou decifrar o enigma. Porém, ambos cansados, se dão por vencidos.

De volta para casa Derek tenta ainda chegar a um denominador comum multiplicando, dividindo e procurando formulas que continha estes números. Já em seu quarto, ele descobre que tais números lembravam ou estavam inseridos na frequência do átomo de hidrogênio. Esta descoberta o deixou mais confuso e desesperado. Assim ele adormece no sofá coberto por papeis e livros sem achar a solução para o seu problema.

No dia seguinte, mais uma vez atrasado, Derek chega a sala de aula da universidade e apesar do olhar fulminante de sua professora, acomoda-se em uma das cadeiras de frente para o palco onde aera exibido a aula do dia.

Enquanto isso, o comande da operação do FBI no aeroporto, se reuni com vários estudiosos para tentar decifrar o porque que o número da Constante de Estrutura Fina aparecia em tais mensagens. A lista de contatos ou mensagens sob o poder do FBI era imensa e todas apareciam o enigmático número. Apesar de todos os esforços, nenhuma conclusão haviam chegado, principalmente por haver nestas mensagens outros tantos números incompreensíveis para nossa atual evolução.

Mas, eis que na sala de aula, Derek e sua professora achariam o fio da meada.

Eu não vou descrever a cena aqui, pois é emocionante quando a Drª Hendricks (a professora interpretada pela fabulosa Gilliam Anderson) faz conhecer ao seu mais brilhante aluno Derek Echevaro (Alex Sharp) as coordenadas da próxima aparição da nave, contidas na comunicação de rádio da torre. Quando inicia sua aula sobre formulas aplicadas, principalmente, no hidrogênio neutro que tem um cumprimento de ondas de 21cm, ela chama a atenção de Derek e o faz intender os números de tal mensagem e o que os mesmos queriam informar e decifra o enigma.

As cenas seguem até que Derek consegue ver e filmar o ovni por alguns segundos. Parecia que a nave o aguardava no local indicado pelas coordenadas deixadas na mensagem do radio da torre do aeroporto.

O final é igualmente emocionante por mostrar que, apesar das críticas na época, tanto Carl Sagan e Frank Drake tinha razão em ter enviado a mensagem em 1974, mesmo sabendo que 28.800 anos depois, M13 já teria mudado de coordenadas, mas, como sonhavam, alguém interceptou tal mensagem e veio até nós.

Abordei aqui pequenas partes do filme “Ufo, estamos sozinhos?” para descrever um fato real de contato. Tenho o filme e quem quiser conferir é só enviar-me uma mensagem que eu disponibilizarei. Mas, por favor, não enviem mensagem que eu tenha que decifrar... rsrs















Sou o que se pode chamar de escritor independente. Um homem que gosta de juntar letras, formar palavras e construir textos que tentam traduzir gestos, olhares ou sorrisos. Tenho quatro livros de poesias publicados, quatro antologias e alguns concursos vencidos. Sou coeditor do Jornal Alecrim voltado totalmente para cultura e artes. Além de poeta, sou escritor, artesão e artista plástico.

 





ARTISTA DA SEMANA

Na coluna dessa semana, vamos iniciar apresentando os colunistas do Jornal Alecrim



GUSTAVO LUCENA:



Gustavo Lucena de Melo é um escritor fluminense, nascido em Niterói, criado entre o subúrbio carioca e a serra teresopolitana. E reside desde sua tenra idade na cidade que lhe tomou o coração a cidade de Teresa, como também é conhecida.

Em Teresópolis Gustavo se criou e por influência, principalmente da mãe e do padrasto, se descobriu um consumidor de livros. E por esse amor a literatura, hoje redescobriu seu lado poeta, coordena o GT (grupo de trabalho) do Fórum de cultura de Teresópolis "Palavra em ação", possui uma obra publicada, de grande importância para a cidade, por se tratar de um momento crítico recente pelo qual a cidade passou:  "Vida sob escombros", é integrante do grupo de artistas idealizadores, criadores e mantenedores do "Jornal Alecrim" onde vem fazendo, periodicamente, o seu editorial.




RENATO GALVÃO



Sou o que se pode chamar de escritor independente. Um homem que gosta de juntar letras, formar palavras e construir textos que tentam traduzir gestos, olhares ou sorrisos. Tenho quatro livros de poesias publicados, quatro antologias e alguns concursos vencidos. Sou coeditor do Jornal Alecrim voltado totalmente para cultura e artes. Além de poeta, sou escritor, artesão e artista plástico.

 




CLÁUDIA COELHO



Cláudia Coelho é professora, atriz, escritora e produtora cultural, atua, entre outras coisas com contação de histórias para crianças, oficinas de contação de história para professores e público interessado em aprender mais sobre esse mundo mágico da imaginação.

 Faz parte da ACADEMIA TERESOPOLITANA DE LETRAS, em Teresópolis-RJ, onde atua com literatura e projetos infantis. Seus livros infantis publicados são POTIARA e NIARA E O TESOURO ENCANTADO.  Já os livros para jovens e adultos publicados são: VIDA QUE SEGUE 1, VIDA QUE SEGUE 2, MEMÓRIAS DE MÃO DE PEMBA e SOB A LUZ VERMELHA.




DICAS DE ATIVIDADES CULTURAIS

TERÊ CULTURA ONLINE


                No último mês de Junho a Prefeitura Municipal de Teresópolis através de sua Secretaria de Cultura, lançou um edital convocando artistas da cidade a participar do concurso Festival Terê Cultura Online. Trabalhos de trinta artistas de várias áreas foram escolhidos e estes estão sendo exibidos desde o dia 04/julho e devem seguir até o dia 31/Julho no canal oficial da Prefeitura (https://www.facebook.com/PrefeituraTeresopolisOficial), conforme agenda da Secretaria de Cultura.

                Para minha surpresa meu nome estava incluído na lista dos trinta escolhidos. Digo surpresa, pois sou avesso a participar de editais cujo gerenciamento seja de órgãos públicos. Mas, por insistência e influência de alguns amigos, enviei a proposta de meu trabalho e fui um dos escolhidos. Bom isso.

                E no que consistia a minha proposta?

                A Exposição Caminhos de Blu Leka nasceu em 2016 mostrando telas concebidas por absoluta influencia do livro (Caminhos de Blu Leka) que estou escrevendo. Foram escritos até aqui cinco capítulos e estes me conduziram pelos caminhos da arte plástica. Aproximadamente 200 telas foram pintadas retratando paisagens de mundos por onde meu Anjo Azul (Blu Leka) se aventurou em missões de resgates ou simples viagens de visita aos universos. Porém, o que era para ser um Conto, me envolveu de tal forma que outros personagens foram criados e telas pintadas inspiradas nos mesmos.

                A Proposta aceita e escolhida pelos organizadores do Festival Terê Cultura Online consistia na mostra da Exposição Caminhos de Blu Leka através da exibição de dez vídeos divididos em tópicos contando a história dos Caminhos de Blu Leka. Telas, quadros e textos correspondentes a estas aventuras contêm estes vídeos.

                Os dois primeiros vídeos já foram ao ar e você poderá ver ou rever aqui nesta coluna. Porém os vídeos restantes serão divulgados pela Prefeitura no seu canal oficial, obedecendo a sua programação. Os vídeos também serão veiculados no Jornal Alecrim e nas redes sociais deste que vos escreve (https://linktr.ee/renatogalvao).

                Independentemente de qualquer ato político ou opinião política, o mais importante é saber e ter a certeza de que a arte caminha lado a lado com a civilização mundial e que a mesma pode e sempre consolou humanos em suas dificuldades. Estamos atravessando momentos difíceis e, nós artistas, temos a consciência do papel que desempenhamos na sociedade, seja ele civil ou pública.

                Agradecimentos a Prefeitura de Teresópolis e sua Secretaria Municipal de Cultura pela iniciativa. Que não fique só neste ato o incentivo aos artistas. Que atos como estes não sejam apenas por consequência de calamidades a ou b. Que seja uma constante e no ano inteiro, pois apoiar a arte é uma questão de sabedoria, inteligência e sensibilidade.

                A vida sem arte chama-se morte.

Video 01:  https://www.youtube.com/watch?v=G5cS08ZLaGg

Vídeo 02: https://www.youtube.com/watch?v=Akm2aMvR48A





Sou o que se pode chamar de escritor independente. Um homem que gosta de juntar letras, formar palavras e construir textos que tentam traduzir gestos, olhares ou sorrisos. Tenho quatro livros de poesias publicados, quatro antologias e alguns concursos vencidos. Sou coeditor do Jornal Alecrim voltado totalmente para cultura e artes. Além de poeta, sou escritor, artesão e artista plástico.








VOCÊ ENCONTRA DICAS DE ATIVIDADES CULTURAIS TODAS AS QUINTAS COM RENATO  GALVÃO


DICAS DE SAÚDE E BEM-ESTAR

Dicas de Saúde

Toda semana você encontra dicas de saúde e bem estar para você e sua família!!

 

DICA 1 – ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA

 

    Para cuidar do corpo e da saúde de forma simples e prática, você pode começar ficando de olho no que você come! Para isso, você não precisa investir em produtos caros nem em receitas mirabolantes!

    A simplicidade do arroz e feijão, por exemplo, oferece uma excelente combinação de vitaminas, minerais, fibras e aminoácidos e têm propriedades antioxidantes, que ajudam a retardar a ação do tempo. Você pode completar o prato com “cores” vindas de legumes e verduras, e de sobremesa... Que tal uma fruta?

    Um dos alimentos que você deve consumir durante a semana é o brócolis, ele é rico em cálcio, potássio, selênio, ácido fólico e ajuda a proteger o organismo contra o câncer de cólon, pulmão e mama. Com alto teor de fibras, ele também ajuda a reduzir o colesterol e acelerar a eliminação do estrogênio do organismo, hormônio feminino que em altos níveis pode favorecer o aumento de peso e o risco de doenças da tireoide e osteoporose.

    E a última dica de hoje vai para o consumo de açúcar refinado. Além de não trazer nenhum benefício à sua saúde, o excesso pode levar à obesidade e provocar doenças associadas, como diabetes e hipertensão.

    É claro que em ocasiões especiais você merece uma folga... Mas... Com moderação!

 

 

     Nossa coluna de saúde e bem estar, será sempre às quartas-feiras!!! Fique ligado!












Cláudia Coelho

 

Cláudia Coelho é professora, atriz, escritora e produtora cultural, atua, entre outras coisas com contação de histórias para crianças, oficinas de contação de história para professores e público interessado em aprender mais sobre esse mundo mágico da imaginação.

 Faz parte da ACADEMIA TERESOPOLITANA DE LETRAS, em Teresópolis-RJ, onde atua com literatura e projetos infantis. Seus livros infantis publicados são POTIARA e NIARA E O TESOURO ENCANTADO.  Já os livros para jovens e adultos publicados são: VIDA QUE SEGUE 1, VIDA QUE SEGUE 2, MEMÓRIAS DE MÃO DE PEMBA e SOB A LUZ VERMELHA.

 

                Todas as semanas vamos trazer novidades pra vocês, queridos leitores, esperamos que gostem e acompanhem o Jornal Alecrim, voltado para a arte, a cultura, o turismo e tudo aquilo que faz nossa vida ser mais saudável e feliz.

 


Que delícia! Receitinha da semana! Vamos fazer KAFTA?



Que delícia!! Hoje é dia de receitinha em nosso Blog!!

 

Que tal preparar um prato rápido e delicioso para o almoço? Acompanhe nossas receitas toda a semana, sempre às terças-feiras!!

 

A Receitinha de hoje é KAFTA

 

Você vai precisar de:

 

1 kg de acém moído

2 colheres (sopa) de azeite

cheiro-verde picado a gosto

hortelã picada a gosto

suco de 1 limão siciliano

5 colheres (sopa) de molho inglês

2 colheres (sopa) de farinha de rosca

2 colheres (chá) de pimenta síria ou a gosto

4 colheres (chá) de sal

 

Modo de fazer:

Em uma tigela, misture o acém moído, o azeite, o cheiro-verde, a hortelã, o suco de limão, o molho inglês, a pimenta síria, o sal e a farinha de rosca.

Misture tudo muito bem.

Pegue um pouco da massa e molde a kafta nos espetinhos.

Leve ao freezer por 1 hora.

Em seguida, apoie os palitinhos em uma forma e leve ao forno preaquecido (180° C) por cerca de 40 minutos.

Depois é só servir... que delícia!

Se você fizer, poste a foto nos comentários em nossas redes sociais!!!











Cláudia Coelho é professora, atriz, escritora e produtora cultural, atua, entre outras coisas com contação de histórias para crianças, oficinas de contação de história para professores e público interessado em aprender mais sobre esse mundo mágico da imaginação.

 Faz parte da ACADEMIA TERESOPOLITANA DE LETRAS, em Teresópolis-RJ, onde atua com literatura e projetos infantis. Seus livros infantis publicados são POTIARA e NIARA E O TESOURO ENCANTADO.  Já os livros para jovens e adultos publicados são: VIDA QUE SEGUE 1, VIDA QUE SEGUE 2, MEMÓRIAS DE MÃO DE PEMBA e SOB A LUZ VERMELHA.

 

                Todas as semanas vamos trazer novidades pra vocês, queridos leitores, esperamos que gostem e acompanhem o Jornal Alecrim, voltado para a arte, a cultura, o turismo e tudo aquilo que faz nossa vida ser mais saudável e feliz.



DIA DO AMIGO

Hoje o Jornal Alecrim traz uma poesia em homenagem ao dia do amigo, inédita e fresquinha, para inaugurar a coluna das segundas-feiras que trará poesias, poemas e dicas de livros pra você!

Agradecemos a sua companhia nas nossas redes e brindamos aos novos amigos e aos antigos, que a amizade dure sempre!

 

DIA DO AMIGO

 

Hoje é dia do amigo,

Disseram as redes sociais...

Mas, pra mim amigo é todo dia

E todos os dias chegam mais...

 

Há aqueles que conheço desde o meu nascimento

Há os novos, os que nunca vi, e os de um só momento

Amizade é o mais puro sentimento

Amigo que é amigo, nos põe em movimento.

 

Somos amigos da Terra, do planeta em um só coração

E rezamos juntos pela cura da nação.

A nação, não só de um país, mas da Terra, em união

Trazendo novos pensamentos e quem sabe mais ação

 

Hoje estamos impedidos

De abraçar, de beijar

Mas ainda há música nos ouvidos

E palavras que vêm nos visitar

 

As redes sociais, a voz no telefone

Tudo hoje traz saudade

E a cada um que aqui está

Desejo saúde e felicidade


Daqui a pouco tudo vai passar

E todos nós vamos nos encontrar

Seja aqui ou em outro lugar

Nossa amizade vamos brindar!

Cláudia Coelho














 


    Cláudia Coelho é professora, atriz, escritora e produtora cultural, atua, entre outras coisas com contação de histórias para crianças, oficinas de contação de história para professores e público interessado em aprender mais sobre esse mundo mágico da imaginação.

 Faz parte da ACADEMIA TERESOPOLITANA DE LETRAS, em Teresópolis-RJ, onde atua com literatura e projetos infantis. Seus livros infantis publicados são POTIARA e NIARA E O TESOURO ENCANTADO.  Já os livros para jovens e adultos publicados são: VIDA QUE SEGUE 1, VIDA QUE SEGUE 2, MEMÓRIAS DE MÃO DE PEMBA e SOB A LUZ VERMELHA.

 

                Todas as semanas vamos trazer novidades pra vocês, queridos leitores, esperamos que gostem e acompanhem o Jornal Alecrim, voltado para a arte, a cultura, o turismo e tudo aquilo que faz nossa vida ser mais saudável e feliz.


TURISMO E NATUREZA

MARAVILHAS DE TERESÓPOLIS

#TURISMO

#jornalalecrim

 

Vamos falar de um ícone turístico fluminense, que pode não estar fisicamente no território de Teresópolis, mas brinda seus moradores e visitantes, por poder ser observado lindamente em diversos locais da cidade, o Dedo de Deus.


DEDO DE DEUS


Esta divina obra geológica, que está no Parque nacional da Serra dos Órgãos e junto com outras montanhas compõe a Serra dos Órgãos, ganhou este nome, por ser muito semelhante a  uma mão com dedos fechados e apenas o dedo indicador apontando para o céu. Parece esculpida manualmente pelo criador, que mostra, apontando, onde encontramos ajuda para todos os problemas.

O Dedo de Deus tem grande importância e aparece nas bandeiras e brasões de algumas cidades fluminenses (Magé, Guapimirim e Teresópolis) e na do estado do Rio de Janeiro, sua importância também se dá para a iniciativa montanhista no Brasil tendo sido vencido, apesar da fama à época de inatingível, por teresopolitanos no ano de 1912. O primeiro grupo de montanhismo brasileiro (Centro  Excursionista Brasileiro - CEB), fundado em 1919, trás a imagem do Dedo de Deus na sua bandeira.





Por todos que têm a oportunidade de ver a perfeição artística divina na feitura de tão linda obra de arte natural, a paixão é inevitável, e a todos que visitam a cidade de Teresópolis a parada no Mirante do Soberbo é quase uma lei, para que os turistas levem consigo fotos de um dos mais bonitos cartões postais do Brasil. É também, onde muitos pausam a caminhada pela avenida Rotariana e tomam fôlego para retornar, ou ainda, bebem uma água de coco ou um caldo de cana e se revigoram com o frescor da bebida e a linda vista da paisagem.

Quando visitar a cidade de Teresópolis, não deixe de ir ao Mirante do Soberbo ver uma das mais lindas visões que terá e, ao entrar na cidade, em muitos momentos irá se deparar com uma visão do Dedo de Deus, contudo, no mirante, a visão é realmente diferenciada.

 




Gustavo Lucena de Melo é um escritor fluminense, nascido em Niterói, criado entre o subúrbio carioca e a serra teresopolitana. E reside desde sua tenra idade na cidade que lhe tomou o coração a cidade de Teresa, como também é conhecida.

Em Teresópolis Gustavo se criou e por influência, principalmente da mãe e do padrasto, se descobriu um consumidor de livros. E por esse amor a literatura, redescobriu seu lado poeta, coordena o GT (grupo de trabalho) do Fórum de cultura de Teresópolis "Palavra em ação", possui uma obra publicada, de grande importância para a cidade, por se tratar de um momento crítico recente pelo qual a cidade passou:  "Vida sob escombros", é integrante do grupo de artistas idealizadores, criadores e mantenedores do "Jornal Alecrim" onde vem fazendo, periodicamente, o seu editorial.

GUSTAVO LUCENA, comanda a coluna TURISMO E NATUREZA, e a coluna POESIAS E CRÔNICAS, nos DOMINGOS e SEGUNDAS respectivamente.

GIRO PELO MUNDO - COM RENATO GALVÃO

Mistérios de nosso Universo.

 

Um enigmático número que está contido em tudo no universo, até mesmo em suas roupas e ninguém sabe a origem!

Quer saber?

Leia esse artigo!

 

    O átomo de hidrogênio tem por composição emitir luzes a níveis de específicas energias. Estas energias são determinadas por um número misterioso e enigmático denominado Constante de Estrutura Fina = 0.0072973525667(17). Pois bem, ninguém sabe a origem deste número e muito menos de onde vem. Sabemos que ele aparece em muitos cálculos da física fundamental do nosso Universo. Por incrível que pareça, a atmosfera, as estrelas, o ar que respiramos e até os cadarços de nosso tênis ou sapatos, têm uma composição atômica onde este número esta incluído. Ele está no seu cabelo, nos seus olhos, na sua boca... Enfim, em sua composição atômica (!). O CEF é um conceito matemático reconhecido em qualquer lugar de nossos sistemas solares com todos os seus componentes, tais como, planetas, estrelas, asteroides, sóis, cometas e uma infinidade de etc. Ele está contido na composição atômica de todo Universo.

No ano de 1974, os cientistas Carl Sagan, Frank Drake e outros, lideraram um projeto cujo objetivo seria de enviar uma mensagem contendo matemática básica, informações de nosso planeta, nossa civilização, nosso sistema solar, além, é claro, do número da Constante de Estrutura Fina. Esta mensagem foi enviada utilizando o radiotelescópio porto-riquenho localizado na cidade de Arecibo, o maior radiotelescópio do mundo. A mensagem foi direcionada ao aglomerado de estrelas M13 com o objetivo de transmitir a uma possível civilização extraterrestre tais informações.

 

    Porque M13?

    A razão principal que os cientistas levaram em conta, foi devido ao fato de que a região, tendo uma alta densidade de estrelas, tem uma maior chance de existência de vida inteligente habitando um planeta. O Grande Aglomerado Globular de Hércules (Messier 13,NGC 6205) é um aglomerado de estrelas na constelação de Hércules. Foi descoberto pelo inglês Edmond Halley em 1714, o mesmo astrônomo que em 1696 descobriu o Cometa Halley. Com magnitude aparente de 5,8, é fracamente visível a olho nu, mesmo sob condições extremamente boas de observação. Tem um diâmetro aparente na abóbada celeste de 23 minutos de arco e é facilmente visível mesmo em pequenos telescópios. Situa-se a cerca de 25 100 anos-luz em relação à Terra e sua idade foi estimada em 13 bilhões de anos. Tal aglomerado pode conter mais de um milhão de estrelas; seu centro tem uma densidade estelar 500 vezes maior do que o espaço nas vizinhanças do nosso Sol.

Assim, mesmo sabendo que a mensagem enviada em 1974 levaria aproximadamente 22.800 anos contados no nosso calendário ou tempo para atingir seu alvo (M13) e contatar alguma civilização extraterrestre avançada, nossos bravos cientistas mantiveram suas metas e enviaram essas e outras tantas mensagem visando uma resposta satisfatória ou um contato eminente com outras civilizações. Entretanto, no caso de M13, talvez o sucesso dessa comunicação esteja fadada ao fracasso. O aglomerado já não vai mais estar em sua localização atual quando a mensagem chegar; fazendo-nos crer que tal tentativa pendeu mais para uma demonstração tecnológica do que de uma tentativa real de contatar uma civilização extraterrestre inteligente. Mas, certamente a expectativa de Carl Edward Sagan (1934/1996), Frank Drake e todo o mundo científico afim é (ou era) que alguém pelo caminho interceptasse tal mensagem e viesse até nós primeiro para estabelecer contato.

    O que se pode entender em tudo isso e, principalmente, ao que se refere ao número enigmático e misterioso da Constante de Estrutura Fina (CEF), é que os átomos de hidrogênio que têm a propriedade de emitir luzes a níveis de energias específicas têm como fator determinante e integrado o referido número 0,00729735525667(17) que compõe a própria Constante de Estrutura Fina. Como o hidrogênio está contido por todo universo, talvez aí esteja a chave para descobrir a origem deste misterioso número. Ou esperar que alguma civilização inteligente extraterrestre nos ensine o caminho, trazendo-nos a resposta. Sabemos que esta já usa este caminho (Constante de Estrutura Fina e ondas de comprimento do hidrogênio) para se comunicar conosco. Só resta entender, aprender ou esperar.

   

                   

                         M13                                        



RADIOTELESCÓPIO

Radiotelescópio de Arecibo

 

Na próxima postagem, falarei sobre um filme que aborda e conta uma historia real de contato, cuja mensagem dos extraterrestres é emitida aos terráqueos utilizando a frequência de átomos de hidrogênios e da Constante de Estrutura Fina...

Pesquisa e Texto:

Renato Galvão




Renato Galvão é um escritor independente. Um homem que gosta de juntar letras, formar palavras e construir textos que tentam traduzir gestos, olhares ou sorrisos. Tem quatro livros de poesias publicados, quatro antologias e alguns concursos vencidos. É coeditor do Jornal Alecrim voltado totalmente para cultura, artes e afins. Além de poeta, é escritor, artesão e artista plástico. 

Renato vai comandar a coluna GIRO PELO MUNDO todos os sábados no Jornal Alecrim. 




Destaque do mês

ZACHARIA SITCHIN - Escritor, Historiador e Pesquisador

Há escritores que por sua incessante busca da verdade e por não aceitar as “verdades” que nos impõem, transformam-se em grandes pesquisadore...

Preferidas do Público